24 de fevereiro de 2010

Falta de Chão

Já há dias que não me chega aquela vontade, tão minha característica, de escrever. E hoje é mais um desses dias aos quais espero sinceramente que não se sigam muitos mais. Supostamente teria dezenas de coisas para escrever: podia "postar" (homenagem à Sarocas) mais uma das minhas muitas teorias desvairadas em que só eu acredito, assuntos relacionados com acontecimentos pelos quais estou a passar, uma nota sobre uma qualquer notícia que vi na televisão, uma imagem simbólica ou simplesmente queridinha demais para eu poder resistir a mostrá-la a quem por aqui meta o nariz. Mas não. E o mais estúpido é que não tenho assim tantos motivos para isso. A vida vai-me correndo bastante bem (até é para estranhar), não fossem aquelas "coisas" (que me são tão queridas) das quais tenho de abdicar para poder ter outras que nem sequer são assim tão importantes para mim. Revolta-me saber que não posso ter tudo e que de seis em seis meses essa tristeza me assola. E isto dá-me conta do sistema.  Ontem dei por mim a ser desagradável para os meus melhores amigos, sem motivos nenhuns para tal e odeio-me por isso. No fundo, descobri que sou avessa à mudança: gosto das coisas assim como estão e faço birrinha, que nem uma menina mimada de 2 anos, quando percebo que o mundo é uma besta. Mas também sei que isto passa (até agora tem passado) e acredito que coincidências há muito poucas...
Fora isso, está tudo bem.

4 comentários:

Sara disse...

Às vezes é a falta de inspiração que nos proporciona a escrita de palavras mais sinceras e bonitas, porque talvez sejam as únicas que estejamos dispostos a escrever. A vida é composta de mudanças e todas elas, por muito más que sejam, são boas. Aquilo que antecede à mudança, foi outrora também, uma mudança, e não podemos estagnar. A vida tem muitas coisas para oferecer mas não te tira nada que não queiras. Por isso, tontinha, sorri. Porque a nossa vontade é o mais importante.

Gosto muito de ti. =)
E não estou triste de todo, estou feliz por tudo o que sei que a mudança não vai mudar.

Joana disse...

Tens toda a razão, já não sei quem dizia (talvez os "antigos" como diria a tua querida tia) que "Parar é morrer". Suponho que também eu tenha de deitar estes meus medos para trás das costas e ver o que o futuro me reserva :)

Espero que realmente a vida não me tire o que me faz falta, porque eu NÃO QUERO lol

Eu tb gosto mt de ti minha criancinha feliz!

Thanks for everything

Anónimo disse...

Não te odeies, és uma pessoa excelente e eu adoro-te por isso!! Gosto, sempre gostei e hei-de sempre gostar de estar contigo, é um facto! Espero que estejas sempre ao pé de mim para o que der e vier, pois eu sempre o estarei! É verdade que por vezes grandes momentos de tristeza nos assolam e nós nem sabemos bem porquê!! Mas que se há-de fazer?!? Como dizem os populares: ''É a vida!''. Temos é que esquecer e esperar que passem, embora esses pequenos momentos que deveriam ser os mais curtos nos pareçam o mais morosos! Assim, devemos ir vivendo a vida e aproveitar os momentos felizes para deste modo não deixar qlqr tempinho para pensamentos tristes ;)
Gosto mesmo muito de ti **
Oguh

Joana disse...

Fico feliz por saber que tenho vários ombros onde me encostar quando me dão estes ataques! É bom saber que estão lá para me ajudar a ultrapassa-los com um sorriso na cara =) e voces são os melhores nisso! Qt ao nao deixar tempo para os momentos tristes... acho que vou ter pouco, mas estes momentos são importantes para poder realmente apreciar os momentos que me deixam extasiada!

Beijinhos e obrigada!