8 de janeiro de 2012

And it's hard to dance with a devil on your back, so shake him off


    Chega sempre o dia em que temos de enterrar o "cavalo", como ela diz. Não vale a pena deixar o passado perseguir-nos, ele já não nos pertence. Depois de terem rolado as lágrimas, como calhaus que saem directamente dos nossos ventrículos, de ter sofrido tudo o que havia para sofrer, há que levantar a cabeça e tomar a decisão de nos livrarmos do que nos transtorna. Arrastar é sempre (à primeira vista) mais fácil, pensamos que vai ser menos doloroso, mas acaba sempre por ser a prova de fogo à qual não sobrevivemos: não era suposto sobrevivermos. É suposto VIVERMOS, cientes de que fazemos o nosso melhor para manter o nosso íntimo nos píncaros da felicidade. Deixar-se enrolar por uma onda que sabemos que nos vai afogar, mais tarde ou mais cedo, não é, de todo, o caminho mais fácil: é o caminho de quem escolhe definhar. Se faz alguma coisa, é ensinar-nos que não há ninguém que mereça que definhemos por ele, e dar-nos a força que precisávamos para enterrar o assunto, conscientes de que nem as memórias salvam um barco afundado. Portanto, se têm diabos pendurados em vocês que não vos deixam dançar, afugentem-nos, por muito impossível que vos pareça lá das profundezas do poço onde se encerraram. É possível. Pacientemente, o vosso pé vai começar a bater ao som da música, enquanto se recorda do que é estar livre de pesos que não são seus para carregar. Atrás do pé, virá o resto do corpo, atrás do corpo, irá a mente. Segue-se a felicidade. Ou pelo menos, a promessa de que podem renascer e que podem dançar um tipo de música que mais agrade ao vossos ouvidos.

It's always darkest before the dawn

7 comentários:

CurlyGirl disse...

É verdade, custa largar, custa seguir em frente, mas a vida continua e a música não parou. É preciso saltar para a pista e arrasar na mesma, sem estar à espera que o fantasma do passado nos venha buscar ao banco.

Para dançar não são precisos dois.

Eenesh disse...

Identifico-me completamente com isto neste momento.
Há cerca de 1 mês tive de descobrir o que era isso de seguir em frente. E custa muito, mas tem de ser.
Também já estou no processo de rebirth... :)

Eenesh disse...

Ah, aqui é um semestre e é no estágio do 3º ou do 4ºano, por isso acabo por não perder nada, em vez de fazer o estágio cá, faço lá. Já é uma coisa que tenho na cabeça há uma data de tempo, vamos lá ver.

Obrigada :)

Miss Murder disse...

Olha que é verdade, mas o tempo ajuda tanto nessas coisas. Custa a deixar ir, mas depois quando deixamos só recebemos coisas melhores em troca, acredita.

Meninos dos olhos azuis disse...

esta música tocou hoje várias vezes...

Turtle disse...

Meninos dos olhos azuis, espero que tenha tocado pelos melhores motivos, e não por estes que estão aqui descritos!

Meninos dos olhos azuis disse...

foi pela força da música em si. amores à primeira vista.... depois deste post é que prestei mais atenção à letra