14 de agosto de 2011

Sobre o passado

O passado já lá vai e o que aconteceu não pode ser alterado. O que pode sim, é ser alterada a percepção que temos sobre o passado. Porque as histórias muitas vezes estão mal contadas, encobertas (cegas) por toneladas de véus de mentira, ignorância ou inocência pura, e faz-se uma ilusão do que deveria ser a realidade pura e dura. O que aconteceu não mudou. Mudou o que nos achamos que aconteceu. Mancham-se memórias, partem-se as ilusões como vidro de má qualidade em chão de mosaico. E tudo muda, again and again, à medida que nos aproximamos dos factos e nos afastamos dos floreados da nossa mente. Pode ser duro. Aliás, pode ser tremendamente doloroso. Mas é a verdade, e nada mais posso querer. Prefiro mil verdades dolorosas, mas que me permitem crescer, do que uma única mentira que me mantém sempre com um sorriso nos lábios, ainda que seja o bobo da corte. Porque se é pelo sonho que vamos, de vez em quando uma chamada à Terra também se torna oportuna, mais que não seja para reajustar as coordenadas no GPS que já tinha marcado quando planeei a viagem. 

4 comentários:

Nokas disse...

Nem mais!

Patrícia disse...

Muito bom o texto :)

É mesmo assim: o que muda não são as coisas mas sim visão que temos delas.

André disse...

Certo, mas alterar a percepção do passado não pode também adulterar o que realmente aconteceu? às vezes temos uma certeza emocional sobre um assunto mesmo sem nada que o sustente- como quando sabemos que não queremos uma coisa ou alguém, sem nada que o justifique

Turtle disse...

André, essa certeza advém precisamente disso: do que pensaste na altura em que decidiste que não querias essa coisa ou alguém. O mais que pode acontecer é mudares de ideias e passares a querer no presente, mas isso não apaga o facto de não o teres querido no passado. Porque o que aconteceu, aconteceu, só muda a quantidade de informação que tu tens sobre a realidade e o ponto de vista :)