26 de março de 2011

Baú das Memórias #2 - Baywatch

Na altura eu adorava isto porque quando crescesse, queria ser bonita como as raparigas da série, porque gostava de ver a praia, porque achava piada aos salvamentos, ao aparato dos barcos e das motas de água. Uns anos mais tarde comecei a perceber porque é que a minha irmã, 9 anos mais velha que eu, também gostava de ver. Os episódios eram toda uma montra de homens giros que passavam 90% do tempo de calções e em tronco-nú (estava lá mais alguém? Who cares??). Tenho de agradecer à Baywatch. Foi com esta série que as minhas hormonas fizeram o meu ritual de iniciação cerebral para o mundo XY. Comecei bem até, right? (David Chokachi arr***baba***Michael Bergin***babaaa***David Charvet... é-melhor-parar-que-ainda-tenho-um-colapso)


Hoje vejo aquilo pelos mesmos motivos. É que realmente se não tiver gente gira, a série é a coisinha mais sem-sal que os anos 90 produziram!

Ainda assim, sempre adorei a música de início!


5 comentários:

Ísis disse...

Só porque gostavas de Baywatch, tal como eu, resolvi seguir o teu blog! :P A serio, gostei muito do blog. Beijo

Turtle disse...

Ísis, fico feliz por teres gostado :) obrigada!

Ísis disse...

Não tens de agradecer!

Deixa que te diga que estou a lutar contra os post-its..mas acho que vai ser uma luta dura! Bjo

Vera, a Loira disse...

Do que me foste lembrar...

André disse...

Primeiro- Baywatch é a melhor série sobre a introspecção do ser humano na sua reflexão do homem independente do arbítrio humano universal... tipo... Ever!

Segundo - "Hoje vejo aquilo pelos mesmos motivos"... eu continuo a ver pelo argumento...

e pela música que é brutal.

"queria ser bonita como as raparigas da série" - Vamos todos torcer para que não tenha acontecido esta parte...